O MAIOR MANDAMENTO

Por Lucia Vilela de Andrade

“Mas os fariseus, quando viram que Jesus tinha feito calar a boca aos saduceus, ajuntaram -se em conselho. E um deles, que era doutor da Lei, tentando-o, perguntou-lhe:

– ” Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?”

Jesus lhe disse : – ” AMARÁS O SENHOR TEU DEUS DE TODO SEU CORAÇÃO, DE TODA SUA ALMA E DE TODO SEU ENTENDIMENTO. Este é o maior e o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante, é: – ” AMARÁS AO TEU PRÓXIMO COMO A TI MESMO. Estes dois mandamentos contem toda Lei e os profetas.” Mt XIII 34:40
Kardec comenta conosco que Caridade e Humildade são a única via de salvação e o Egoísmo e Orgulho são a via de perdição.

Não se pode verdadeiramente amar a Deus sem amar ao próximo, pois tudo que se faz contra o próximo, é contra Deus que se faz.

Daí a importância da paciência, tolerância, renúncia – Abnegação – para conseguirmos neutralizar impulsos negativos de raiva e agressividade e nos harmonizarmos com a Lei.

Um instante de raiva pode destruir impressões positivas de mil eras e gerar problemas gravíssimos para muitas encarnações …

Não há mal tão intenso quanto o ódio e não há fortaleza tão grande quanto a paciência.

Portanto, recomendável a TODOS desenvolvam a paciência !

A própria Medicina, em famosa analogia, afirma que o ódio é veneno e a paciência é o medicamento que remove as toxinas venenosas da mente.

Como devermos começar nosso trabalho de superação da raiva?

Primeiro, tendo profunda consciência do negativismo da raiva.

Segundo, desenvolvendo uma profunda compreensão do mecanismo da Causa e Efeito.

A Doutrina Espírita é muito clara ao ensinar que o Bem e o Mal que fazemos para o outro, na realidade atinge primeiro a nós mesmos…

Ao sintonizarmos as faixas negativas, desencadeadas pela raiva, sentimos imediatamente desconforto mental, melancolia, infelicidade, insatisfação.

Sabemos, sentimos que ALGO não está tão bem quanto deveria.

Esse sentimento incômodo de insatisfação gera frustração, que se não for devidamente trabalhado facilmente acaba em súbita explosão de raiva.

Quantas pessoas no mundo, nas penitenciárias, nos hospitais ou na solidão de suas vidas não estão se lamentando, arrependidos pelos gestos pelo impulsivo que desarticulou sua vida !

O Espiritismo vai além, ensinando que no nosso atual grau evolutivo – depois de 2000 anos de convivência com a mensagem de Jesus- somos responsáveis pelo Mal que fazemos e também pelo Bem que deixarmos de fazer!

O Amor é a Lei da vida, energia que vitaliza, ilumina!

O ódio é o verdadeiro inimigo interior que corroi a pessoa por dentro e envenena seu relacionamento com outros seres humanos

O despertamento da consciência, a Reforma Intima, apontam meios de reorientar, reeducar nosso caráter, para que nos tornemos senhores de nós mesmos – menos propensos a reações emotivas fortes como a raiva – não colocando nuca nosso equilíbrio nas mãos de outrem…

Joanna de Angelis ensina que o Ser Inteligente, consciente, deve AGIR e não REAGIR.

Tanto o Amor quanto o Ódio tem muitos graus e permanecendo firmes, atentos, inabaláveis na decisão de acertar, de nos harmonizarmos com a Lei, trabalharemos gradativamente todos degraus dessa escala.
Amar é compreender, perdoar, tolerar é Abnegação – e como somos centelhas divinas, a compaixão existe potencialmente dentro de nós.

Diversas correntes espiritualistas sugerem exercícios de meditação para que tenhamos tempo de visualizar os problemas e neutralizá-los com nossa fé racional, com o conhecimento que já temos.

No Livro dos Espíritos encontramos a linda mensagem de Santo Agostinho aconselhando o hábito do exame de consciência, da análise e reavaliação diária de nosso comportamento.

Fica mais fácil perdoar quando nos lembramos do Mestre, nos minutos finais de sua vida dizendo:

– ” Pai, perdoa…Eles não sabem o que fazem !…”

Bibliografia:
E.S.E. – cap. IX e cap. XI
” A arte de lidar com a raiva”
O poder da paciência – Dalai Lama
( Esse livro é o resultado de 16h de ensinamentos orais apresentados pelo Dalai Lama, em conferência no
Arizona,USA, 1993. A prática pessoal da paciência pelo mestre budista é uma inspiração para todas pessoas do mundo, que o consideram como um exemplo de compaixão e bondade iluminada num mundo repleto de desconfiança, conflito e raiva. O antídoto da raiva é a paciência.
Portanto, a paciência se torna uma necessidade crítica nos tempos atuais.
Por isso a MISERICÓRDIA DIVINA promove meios, informações, conhecimento para todas criaturas, nos quatro cantos do mundo, afim de que todas criaturas desenvolvam a paciência e aprendam a lidar com suas emoções, para que a raiva, mesmo quando aflore, jamais culmine num ódio total.)

Share
  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS