Monthly Archives: August 2014

Os Animais e a Reencarnação

Por Umberto Fabbri

No capítulo XI do Livro dos Espíritos, Kardec aborda a questão dos animais.

O reino animal é um dos três reinos onde estagia o princípio inteligente, princípio este, que tem por finalidade adentrar ao reino hominal em busca da aquisição dos valores morais e da inteligência que o elevarão ao grau de angelitude, de Espírito evoluído capacitado a amar incondicionalmente.

Podemos observar que o instinto domina ainda a maioria dos animais, mas alguns animais já detêm certa vontade de agir em um sentido determinado.

Possui uma inteligência rudimentar, limitada, que não pode ser comparada a do homem, que já adquiriu um pensamento contínuo o que possibilita assimilar o aprendizado intelectual e o progresso no exercício do livre arbítrio no campo moral.

Os animais reencarnam?

Na questão 597 do Livro dosEspíritos encontramos que os animais têm certa inteligência, que lhes dá uma liberdade de ação, e isto nos mostra que há um princípio independente da matéria. Dizem-nos os Espíritos que este princípio sobrevive ao corpo.

Na questão seguinte os Espíritos nos dizem que podemos chamar este principio de alma, mas que esta é inferior a do homem.

Na questão 598 do Livro dos Espíritos – A alma dos animais conserva após a morte sua individualidade e a consciência de si mesma?

R- Sua individualidade, sim, mas não a consciência de si mesma.

A vida inteligente permanece em estado latente.

A reencarnação dos animais é um fato polêmico dentro da Doutrina Espírita, e não deveria ser, uma vez que entendemos a evolução do princípio inteligente e segundo a questão 607-a os Espíritos nosinformam que este princípio se elabora e se individualiza pouco a pouco, ficando claro que individualizado começa um caminho próprio de vida e experiências. Hora na materialidade hora na espiritualidade e auxiliados por Espíritos incumbidos deste processo reencarnam, trilhando o caminho da evolução. “É assim que tudo serve, tudo se encadeia na Natureza, desde o átomo primitivo até o arcanjo, pois ele mesmo começou pelo átomo.” Questão 540 do Livro dos Espíritos.

Como poderemos entender a evolução deste principio já individualizado senão pela reencarnação?

Importante salientar que dentro do reino animal existem várias espécies, e dentro destas espécies encontraremos o princípio inteligente mais ou menos evoluído, face ao progresso já conquistado.

Um crustáceo em sua constituição física como princípio inteligente está atrás na escala evolutiva de algumas espécies de cães, por exemplo, que já detêm um pensamento fragmentário ainda, mas mais desenvolvido.

No livro “Testemunhos de Chico Xavier”, da autora Suely Caldas Schubert, Chico Xavier escreve uma carta a Vantoil de Freitas, então presidente da Federação Espírita Brasileira na década de 50. Chico dizia na carta que seu irmão, José, ao desencarnar havia recomendado que ele cuidasse muito bem de seu cachorro, o Lorde. Lorde viveu mais alguns anos, ficou doente e desencarnou. Ele diz que durante o desencarne do cachorro, viu José acolhe-lo em seus braços. E nos meses que se seguiram, quando José lhe vinha na presença em espírito, estava sempre acompanhado da presença do Lorde aos seus pés.

Esta passagem comprova a convivência dos animais com o homem também na espiritualidade onde encontraremos o mesmo que vivenciamos aqui, há sempre uma continuidade.

PICTURE HERE

No livro Nosso Lar, no capítulo 33 encontramos um diálogo de André e Narcisa: “ Ali estivemos, minutos longos, parados na contemplação dos campos silenciosos. Em dado momento, porém, a bondosa amiga indicou um ponto escuro no horizonte enluarado, e observou:

– Lá vêm eles!

Identifiquei a caravana que avançava em nossa direção, sob a claridade branda do céu. De repente, ouvi o ladrar de cães, a grande distância.

– Que é isso? – interroguei assombrado.

– “Os cães – disse Narcisa – são auxiliares preciosos nas regiões obscuras do Umbral, onde não estacionam somente os homens desencarnados, mas também verdadeiros monstros, que não cabe agora descrever.”

Assim como na matéria os animais auxiliam o homem em suas tarefas, em mundos mais adiantados os animais também o são, mas sempre inferiores aos homens.

O homem é para os animais um deus, infelizmente a grande maioria de nós ainda não aprendeu a amar estes seres como Deus nos pede.

Apesar de possuírem já uma alma seu progresso se dá por força das circunstâncias e não por sua vontade como no caso do homem por isso não existe expiação.

Em algumas espécies que convivem mais de perto com o homem já podemos observar o despertar das sensações e de alguma forma um início do “sentir” sem dúvida um estágio do próprio amor.

Jesus em resumindo todos os mandamentos em dois; Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo, com certeza incluía também toda a criação divina, em todos os estágios e apresentações. O amor e o respeito a todas as formas de vida, são antes de tudo um ato de respeito a Deus, pois que respeita sua obra.

Share
  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS